Marie *

Apr 16

(via esconder-me)


(via vibefreedom)


(via vaca13)


Apr 15

Apr 13

Apr 7
Envelheci dez anos ou mais nesse último mês…

Envelheci dez anos ou mais nesse último mês…


Mar 26
Marie * turned 3 today!

Marie * turned 3 today!


Mar 21
"Mas você pode ter certeza de que seu telefone irá tocar em sua nova casa que abriga agora a trilha agora incluída nessa minha confissão, eu só queria te contar que eu fui lá fora e vi dois sois num dia e a vida aqui ardia sem explicação. Não tem explicação."

Aconteceu de novo com as mesmas paralelas, algo ficou perdido no espaço e as linhas se descruzaram. Não é algo novo, é repetido, então porque parece ter nunca ter acontecido? Essa velha sensação e  nova, me toma, me move, eu parararia o tempo - eu pararia a vida, e retomava, do ponto de partida e retirava de mim tudo que te causou dor. 
Doem mais às paralelas se descruzarem ou nunca terem tido a oportunidade de se tocar? 
Alguém me explica o que dói mais, ter ou perder? E por que essa paralela partida me causa a sensação de nunca ter tido nada? Ou será mesmo que deveria em algum ponto parecer que algo está em meu poder e controle? Se estivesse porque ficou descontrolado? Alguma coisa ficou pra trás.
O ponto de cruzamento ficou pra trás. 
Foi breve.
Foi pouco. 
Foi tudo. 
São tristes as paralelas que não se cruzam sim, perdi repentinamente a dúvida. Mas preferia apenas que não houvesse mais essa sensação, esse cansaço. Eu pararia o tempo, me perderia no espaço.
Religava as paralelas por todas as vezes que eventualmente elas se descruzassem… 




“diga a verdade: ao menos uma vez na vida você se apaixonou pelos meus erros…”

"Mas você pode ter certeza de que seu telefone irá tocar em sua nova casa que abriga agora a trilha agora incluída nessa minha confissão, eu só queria te contar que eu fui lá fora e vi dois sois num dia e a vida aqui ardia sem explicação. Não tem explicação."

Aconteceu de novo com as mesmas paralelas, algo ficou perdido no espaço e as linhas se descruzaram. Não é algo novo, é repetido, então porque parece ter nunca ter acontecido? Essa velha sensação e nova, me toma, me move, eu parararia o tempo - eu pararia a vida, e retomava, do ponto de partida e retirava de mim tudo que te causou dor.
Doem mais às paralelas se descruzarem ou nunca terem tido a oportunidade de se tocar?
Alguém me explica o que dói mais, ter ou perder? E por que essa paralela partida me causa a sensação de nunca ter tido nada? Ou será mesmo que deveria em algum ponto parecer que algo está em meu poder e controle? Se estivesse porque ficou descontrolado? Alguma coisa ficou pra trás.
O ponto de cruzamento ficou pra trás.
Foi breve.
Foi pouco.
Foi tudo.
São tristes as paralelas que não se cruzam sim, perdi repentinamente a dúvida. Mas preferia apenas que não houvesse mais essa sensação, esse cansaço. Eu pararia o tempo, me perderia no espaço.
Religava as paralelas por todas as vezes que eventualmente elas se descruzassem…


“diga a verdade: ao menos uma vez na vida você se apaixonou pelos meus erros…”



Mar 19

Page 1 of 213